Busto de mármore do imperador Constantino.


 

 

 

 

Um pedaço de escultura de mármore de 1,7 mil anos, mostrando a cabeça do imperador Constantino, foi encontrado em um esgoto no centro de Roma,

disseram arqueólogos italianos nesta sexta-feira.


Um pedaço de escultura de mármore de 1,7 mil anos, mostrando a cabeça do imperador Constantino, foi encontrado em um esgoto no centro de Roma, disseram arqueólogos italianos nesta sexta-feira.

Os peritos encontraram a peça de 60 centímetros quando estavam limpando um antigo sistema de drenagem nas ruínas do Fórum romano.

Eugenio La Rocca, superintendente do setor de artefatos históricos de Roma, afirmou que a cabeça de mármore é um achado raro e provavelmente foi usada para desentupir um cano de esgoto.

Constantino, que reinou entre 306 e 337, ficou conhecido por acabar com a perseguição aos cristãos e fundar a cidade de Constantinopla.

Apesar de a maioria de seus súditos ter permanecido pagã, ele ajudou a estabelecer as raízes cristãs da Europa ao proclamar a liberdade religiosa.

'Ressentimento'

A cabeça de mármore branco foi analisada por especialistas que confirmaram a sua identidade comparando o formato do pedaço da estátua com figuras de Constantino representadas em moedas antigas e outras estátuas que estão no Museu Capitolino, em Roma.

A cabeça foi esculpida entre 312 e 325 da Era Cristã, quando Constantino estava no auge de seu reinado, e pode ter pertencido a uma grande estátua de corpo inteiro, que mostrava o imperador vestindo armadura.

"Recuperar uma figura deste tamanho e neste estado de conservação, no coração da cidade, é realmente extraordinário. Chegamos à conclusão de que a cabeça não caiu neste lugar por acidente, foi colocada lá de propósito", disse La Rocca.

"Pode ter sido usada como um grande pedaço de pedra para desviar a água do cano de esgoto, ou pode ter sido colocada lá como símbolo do ressentimento da comunidade pagã com o imperador cristão", acrescentou.

A colocação da estátua no esgoto pode ter sido a salvação da peça, que poderia ter sido saqueada do Fórum romano no século 5º, depois da queda do império.

A peça deve ser exposta no museu de Roma depois de um curto período de restauração.



 



 



 

Fonte: BBC Brasil

Fonte: www.icrvb.com