Descobertas sobre os Maias


Universidade Metodista descobriu a tumba de uma rainha maia.

De acordo com oficiais guatemaltecos, as descobertas sobre os Maias, nas cidades de Waka e Cival, foram feitas pelas equipes de escavação da Universidade Metodista do Sul e Universidade Vanderbilt, respectivamente.

As novas descobertas, afirmam os estudiosos, prometem lançar novos olhares aos últimos anos de glória do período clássico Maia, que terminou por volta de 900 AD, e deve puxar seu início para bem antes da data usual de 250 AD.

Na cidade de Waka, a Universidade Metodista descobriu a tumba de uma rainha maia que reinou há mais de 1.200 anos. O esqueleto estava em uma plataforma de pedra, rodeado por pérolas, pedras vulcânicas negras, jóias da coroa de jade talhada e os restos do que pareceu ser o capacete de guerra da rainha.

Na cidade de Cancuen, datada do século 8, os arqueólogos descobriram um quadro de pedra decorado com imagens lindas e inscrições talhadas em alto relevo. Especialistas descreveram o quadro, retratando cerimônias no salão real, como uma obra prima da arte maia.

Nas ruínas de outra cidade antiga, os arqueólogos encontraram novas evidências mostrando que a civilização Maia começou a atingir níveis de grandeza e complexidade cultural centenas de ano antes do que se pensava. Antes de 150 a.C., a cidade de Cival tinha muitos atributos do período clássico: reis, iconografia elaborada, inscrições e arquitetura cerimonial imponente.



 




 

Fonte: Portal ELNET

Fonte: www.icrvb.com